sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Cine Fiesta: Mientras Duermes, de Jaume Balagueró (2011)

Com os dois primeiros filmes da série [Rec], co-realizados em parceria com Paco Plaza, o nome de Jaume Balagueró ganhou uma certa notoriedade junto dos fãs do cinema de terror. «Mientras Duermes», filme escolhido para abrir a mostra de cinema espanhol Cine Fiesta, que por estes dias está a decorrer no Cinema São Jorge, em Lisboa, e segue em breve para o Porto, é a primeira obra do cineasta após ter abandonado o  franchise que lhe deu fama. Este não é um filme de terror puro e duro, com sangue a jorrar a rodos, mas um filme onde reina o suspense.

No centro da trama encontramos César (Luis Tosar), o porteiro de um edifício que resolve fazer a vida negra a uma das inquilinas que vive sozinha no prédio, a jovem Clara (Marta Etura). As razões que levam César a ter aquele comportamento são explicadas ao longo do filme pelo próprio quando liga para uma estação de rádio, em monólogos interiores ou em diálogos solitários com a mãe que, doente e presa a uma cama de hospital sem falar, não consegue responder ao que o porteiro lhe diz sobre o que tem feito à sua vítima. Em suma, César é um ser perturbado em todos os sentidos e sem qualquer sentimento de culpa em relação ao que faz, capaz de fazer tudo para atingir o seu objectivo.

E se César é uma personagem arrepiante, os louros vão parar à excelente interpretação de Luis Tosar, que depois de ter sido Malamadre, o temível líder da revolta dos prisioneiros em «Cela 211» (outro filme recente bastante recomendável vindo de Espanha), em «Mientras Duermes» volta a brilhar no papel do mau da fita. Mesmo num registo diferente deste filme anterior, quando interpretou um criminoso altamente perigoso, aqui continua também bastante convincente no papel de um normal porteiro com muitos segredos escondidos atrás da sua aparência.

O último filme de Jaume Balagueró poderá desiludir quem for à procura de um verdadeiro filme de terror (não há grandes sustos para apanhar e as cenas regadas a sangue são escassas), mas não deixa de ser um eficaz filme de suspense. Praticamente filmado num único espaço, o edifício onde tem lugar a acção, «Mientras Duermes» funciona muito graças ao poder da sugestão e deixa-nos a pensar que nem tudo é o que parece nas pessoas com quem convivemos no dia-a-dia e com quem muitas vezes trocamos os bons dias. E de certeza que muitos dos espectadores vão começar a olhar para os porteiros de outra forma depois de verem este filme.

Classificação: 4/5

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Foi uma boa surpresa. E este actor tem um jeito do caraças para fazer de mau.

      Abraço

      Eliminar